A escolha de um advogado para empresa: pontos que devem ser considerados

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestShare on Google+Email this to someone

Empreender no Brasil não é tarefa fácil. Quem decide abrir seu próprio negócio precisa estar ciente de que vai enfrentar uma enorme burocracia para que a empresa esteja sempre plenamente legalizada e pronta para o funcionamento. E, não é só isso, manter uma empresa funcionando corretamente exige uma atenção e diversos cuidados como, por exemplo, atenção redobrada na hora de escolher seus prestadores de serviço.

>> Escritório de advocacia empresarial em Florianópolis

De fato, grande parte das empresas nacionais passam por alguns problemas, principalmente as pequenas e médias. O que é natural, pois endividamentos e uma carga tributária enorme são alguns dos desafios de uma empresa de pequeno porte. Portanto, é necessário redobrar os cuidados na hora de escolher a assessoria jurídica da sua empresa, pois é ela que será responsável pela defesa e garantia dos direitos da sua empresa.

Pensando em auxiliar nessa escolha fundamental, resolvemos criar um post com alguns pontos que consideramos importantes na hora de escolher um advogado para empresa ou escritório jurídico para entender sua empresa. Confira!

Dicas para escolher um advogado para empresa

Advogado para empresa

A escolha de um advogado para empresa: pontos que devem ser considerados

Experiência e Histórico

A experiência é um grande diferencial de um advogado para empresa, ou advogado empresarial. Ter familiaridade com os assuntos da empresa é de extrema importância. Procure conhecer o histórico do seu advogado, descubra se ele já atuou em alguns casos ou se teve experiência em negócios que se assemelham aos seu e veja como ele se saiu.

Transparência

Outro ponto importante na hora de contratar um advogado para empresa é a transparência e honestidade. Um bom advogado nunca promete vitória. Ele pode apontar grandes chances de sucesso, mas jamais a garantia dele. Além disso, um advogado que exerça atividades estratégicas na empresa, através de serviços preventivos e consultorias, deve ser capaz de lhe colocar os maiores riscos e os piores cenários, para trabalhar a fim de evitá-los. Honestidade e transparência na hora de analisar um cenário são características em falta no mercado do direito. Procure um advogado para empresa transparente e sincero para o seu negócio.

Confiança

O advogado estará a par de tudo que acontece na sua empresa. Portanto, confiança é um princípio básico para essa relação. De um modo geral, os advogados devem seguir rigorosamente as disposições do Código de Ética da OAB, que inclui, dentre outras obrigações, a de guardar sigilo profissional. No entanto, a relação de confiança ultrapassa a mera obrigação de sigilo. Implica também na confiança quanto à qualidade técnica e quanto à escolha dos melhores caminhos para solucionar as situações que se apresentam. A melhor forma de encontrar um profissional de confiança é buscar um nome de referência ou, então, indicações de profissionais que atuem no seu setor.

 


Você pode se interessar por esses posts:

Cobrar dívidas judicialmente: saiba como fazer

Tudo o que você precisa saber sobre contratos de prestação de serviços

Empresa com dívidas? Saiba como proceder


Juridiquês

Uma velha tática que foi muito usada para causar uma boa impressão era o uso dos jargões jurídicos. Hoje, tendo em vista a necessidade de clareza e entendimento, muito mais importante do que exibir termos rebuscados, é a necessidade do empresário compreender a realidade jurídica da sua empresa e das soluções necessárias, e ser capaz de implementá-las. Portanto, certifique-se de que as informações que você precisa, serão passadas de forma clara e objetiva, que suas obrigações e comprometimento com as questões jurídicas foram bem entendidas.

Negociação de valores

Advogados costumam calcular o valor dos honorários com base nos custos de realização do trabalho. Além de remunerar os profissionais, os escritórios de advocacia precisam manter uma infraestrutura mínima para garantir que os serviços sejam executados com dinamismo e resultado. Desconfie de profissionais que não cobram o suficiente para remunerar seu trabalho. Em qualquer circunstância, é sempre possível discutir qual é a melhor forma de pagamento e definir o modelo que mais se adequa ao perfil de sua empresa.


Gostou do post? Este artigo foi escrito com orientações de Larissa Franzoni, Advogada especialista em Gestão e Direito Tributário e  em Direito de Família e Sucessões, inscrita na OAB/SC sob o nº 22.996. Caso tenhas alguma dúvida com relação ao assunto abordado, fique à vontade para escrever um e-mail: larissa@franzoni.adv.br. Aproveite para curtir nossa fan page no Facebook e para acompanhar nossas atualizações no Instagram e no Twitter!

LEMBRE-SE: este post tem finalidade apenas informativa. Não substitui uma consulta a um profissional. Converse com seu advogado e veja detalhadamente tudo que é necessário para o seu caso específico.