Divórcio descomplicado: dicas para facilitar o processo

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestShare on Google+Email this to someone

A separação de um casal é um momento muito delicado na vida de ambos. Incertezas, mudanças na rotina e instabilidades familiares são comuns nesse período, mas com alguns cuidados, é possível fazer um divórcio descomplicado.

Divórcio descomplicado

Processos jurídicos, geralmente, demandam uma boa dose de paciência, calma e, principalmente, organização, para que não saiam do controle e acabem arrastando-se por anos. Em uma separação ou divórcio, não é diferente: o casal está passando por um momento tenso, e o processo pode agravar esse quadro tempestuoso. Contudo, é preciso afirmar que a colaboração mútua e o diálogo aberto podem simplificar a questão e, ainda por cima, evitar dores de cabeça desnecessárias com o ex-cônjuge.

Sabemos que nem sempre é fácil conduzir todas as decisões com a calma e precaução adequadas e, por isso, listamos algumas dicas e atitudes simples que podem facilitar o processo de divórcio. Confira!

Dicas para um divórcio descomplicado: confira as principais

Converse abertamente, facilite o diálogo

Para um divórcio descomplicado, o diálogo sincero e aberto entre as partes é essencial. Aspectos como pensão alimentícia, guarda dos filhos e divisão de bens precisam ser acordados com discernimento e calma, para evitar que erros sejam cometidos ou que a relação com o ex-cônjuge fique prejudicada.

A relação já acabou e não existem motivos para complicar a solução dos problemas, é preciso ser resolutivo. Por isso, mostre-se disponível e procure ter uma postura conciliadora e tranquila. Com uma boa dose de equilíbrio e paciência, todo o processo será mais simples.

Evite discussões desnecessárias

Discussões e brigas são normais nessa fase de um relacionamento, mas isso não quer dizer que você não possa evitar essas situações. O ideal é que ambos compreendam que o melhor caminho é sempre o da conciliação e da boa-fé, independentemente do que levou a relação ao seu final. Não responder provocações, evitar constrangimentos e favorecer o bom relacionamento são cuidados que favorecem um divórcio descomplicado. Mantenha-se focado no que realmente importa!

Saiba ceder e ser firme nos momentos certos

Para que o divórcio transcorra sem complicações, é preciso saber ceder e ser firme, dependendo da situação. Conciliação, mais uma vez, é a palavra de ordem: se você deseja que o processo seja rápido e simples, sem maiores transtornos, a compreensão e a tranquilidade podem facilitar sua missão.
Entretanto, saber ceder não significa que você precisa abdicar de seus direitos. Se você acredita que precisa ser mais firme em algum momento ou negociação, não hesite: defenda seu ponto de vista com argumentos claros e objetivos, para garantir que sua vontade seja respeitada.

Procure um advogado especializado em Direito da Família

A orientação de um advogado especializado em Direito da Família, preferencialmente com experiência em mediação e práticas colaborativas, pode reduzir bastante as complicações de um processo de divórcio. Isso porque, tendo conhecimento de todo o caso, e munido de ferramentas bastante úteis, o advogado pode auxiliar na composição e acerto em casos de desentendimentos entre os cônjuges e facilitar a resolução de pontos críticos, como a divisão de bens, guarda dos filhos e pensão alimentícia.

O advogado de família também será o responsável pela organização dos documentos necessários para dar andamento ao processo. Caso não haja acordo entre as partes, culminando em um divórcio litigioso, o advogado também terá um papel vital no caso: será o responsável por fazer a defesa dos argumentos de cada um dos cônjuges perante o Poder Judiciário.


Gostou do post? Este artigo foi escrito com orientações de Larissa Franzoni, Advogada especialista em Direito de Família e Sucessões, inscrita na OAB/SC sob o nº 22.996. Caso tenhas alguma dúvida com relação ao assunto abordado, fique à vontade para escrever um e-mail: larissa@franzoni.adv.br.

LEMBRE-SE: este post tem finalidade apenas informativa. Não substitui uma consulta a um profissional. Converse com seu advogado e veja detalhadamente tudo que é necessário para o seu caso específico.